Quinta-feira, 13 de dezembro de 2018

Paralisação 12 de junho

  • Servidores de São Sebastião realizam paralisação e ato público para lutar por reajuste salarial

    Trabalhadores aprovaram também realização de assembleias nos bairros Enseada, Boiçucanga e Centro, nos dias 19, 20 e 21

    Sem resposta da Prefeitura de São Sebastião referente à Campanha Salarial, cerca de 200 servidores realizaram um ato público em defesa dos direitos da categoria. A manifestação teve início na manhã desta terça-feira (12), em frente ao paço municipal, onde permaneceram até o fim da tarde. Em seguida, os trabalhadores realizaram passeata pelas principais ruas do centro da cidade até a Câmara Municipal e na praça da Igreja Matriz deliberaram em assembleia os próximos passos do movimento.

    Os funcionários públicos aprovaram a realização de assembleias nas três sedes do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de São Sebastião (Sindserv) nos dias 19 (Enseada), 20 (Boiçucanga) e 21 de junho (Centro), com segunda chamada às 18h. De acordo com a entidade sindical, os trabalhadores estão em Estado de Greve desde abril e lutam pelo reajuste salarial que deveria ter sido efetuado em maio, de acordo com a Lei 146/2011 (Estatuto do Servidor).

    Durante a paralisação, os servidores formaram uma comissão que, junto à diretoria do Sindserv, buscaram uma reunião com o prefeito ainda nesta terça. A administração municipal informou que o alcaide estava em viagem e os secretários que receberam os trabalhadores explicaram que ainda estão realizando os estudos de impacto orçamentário e que irão reunir todos os setores envolvidos nesta quarta (13) para definir um prazo para o término da avaliação, que deve ser informado ao Sindicato no mesmo dia. Ainda declararam que somente com estes dados podem determinar um possível reajuste salarial.

    De acordo com a diretoria do Sindserv, a pauta de reivindicações da categoria foi protocolada em março, onde os servidores cobram a reposição salarial, o reajuste dos vales alimentação e refeição e melhores condições de trabalho. Desde o início da Campanha, antes da paralisação desta terça (12), foram realizadas três assembleias e dois atos públicos em defesa dos direitos dos servidores, com protesto pelas principais ruas do Centro, sendo que em 15 de maio, os trabalhadores ainda ocuparam a Câmara Municipal munidos de faixas para reivindicar o apoio dos vereadores à categoria.

    “Somos mais de 3 mil trabalhadores e os funcionários públicos não pode ficar no prejuízo. Parabenizo todos os servidores que participaram da paralisação e destaco que seguimos na luta, cada vez mais unidos e mais fortes. Queremos que o prefeito cumpra as promessas de campanha e esta é a segunda vez que em reunião nos falam que estão fazendo estudos. Data-base do servidor é maio todos os anos”, destaca a presidente do Sindserv, Audrei Guatura.

    Pauta de Reivindicações

     O índice de reajuste salarial se refere a 3,5% (índice inflacionário de acordo com a reposição do funcionalismo público estadual este ano), mais 5% (reposição das perdas salariais de 20% escalonadas em quatro anos em 2017), 2,5% (antecipação da metade das perdas que seriam pagas em Ano Eleitoral) e 9,5% de ganho real.

    Já a reivindicação dos vales seguem índices de instituições como o do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), no caso da Alimentação, onde cobram o reajuste de R$ 137,33, e da Associação das Empresas de Refeição e Alimentação Convênio para o Trabalhador (Assert), para aumento de R$ 12,48 no valor da Refeição.

    A categoria também pleiteia que o reajuste do Vale Alimentação seja extensivo a todos os trabalhadores e do Vale Refeição seja estendido aos professores, aos servidores que trabalham em escala e à Fundação de Saúde Pública de São Sebastião.

    Segundo o Sindserv, entre as lutas dos servidores está o fim do assédio moral; que todos os servidores tenham Equipamentos de Proteção Individual (EPI’s); uniformes e identificações adequadas; pagamento dos adicionais de insalubridade, periculosidade e risco atividade; transparência nas contas do Fundo de Aposentadoria e Pensões dos Servidores de São Sebastião (Faps), criação do Plano de Cargos, Carreira e Salários (PCCS) e implantação dos estatutos do Magistério e da Guarda Civil Municipal (GCM), de acordo com Lei Federal.

    A sede Central do Sindserv fica na Rua José David do Vale, 33, Centro; a subsede Costa Norte na Rua Carlos Gomes, 141, Enseada; e a subsede Costa Sul na Rua Luziana, 107, Boiçucanga. Mais informações pelo (12) 3892.1545.