Segunda-feira, 17 de dezembro de 2018

luta para ressarcimento

  • Sindicato segue na luta para ressarcimento do desconto do dia de paralisação da Campanha Salarial

    No dia 3 de setembro, o Sindicato dos Servidores, por meio do Ofício 124/2018, reiterou a reivindicação de retirada de qualquer falta injustificada e ressarcimento de dia de trabalho descontado de servidores que aderiram à paralisação para lutar pelo Reajuste Salarial da categoria. A diretoria do Sindserv segue na luta para garantir os direitos dos servidores e exigiu uma resposta da prefeitura dentro de cinco dias úteis. 


    O Sindserv segue na luta para que os servidores públicos que exerceram o direito constitucional e paralisaram o trabalho para lutar pelo reajuste salarial (que deveria ter sido efetuado a partir de maio, de acordo com a Lei 146/2011) tenham o ressarcimento do dia de trabalho descontado. 
    Após o ato e paralisação que ocorreu no dia 12 de junho, o Sindicato encaminhou o Ofício 110/2018, no dia 1° de agosto, à administração municipal para que os funcionários não tenham prejuízos financeiros e funcionais por lutarem por melhores condições de trabalho. 


    De acordo com a diretoria do Sindserv, o ofício destaca que em 2015, 2016 e 2017 a prefeitura atendeu a reivindicação do Sindicato e ressarciu os dias de trabalho descontados dos funcionários públicos que aderiram as paralisações. 


    Ainda no documento, o Sindserv deixa claro que estes trabalhadores estão na mesma situação fática e jurídica e requer que não sejam imputadas faltas. Também solicita que ocorra o ressarcimento do dia de trabalho descontado e que não haja prejuízos funcionais aos servidores que aderiram a paralisação do dia 12 de junho de 2018. 


    O Sindserv ainda se coloca a disposição da administração municipal para reuniões ou qualquer informação necessária que vise garantir o direito dos servidores. “Não admitimos e nunca iremos admitir que os trabalhadores sofram prejuízos por lutarem por direitos e estamos tomando todas as medidas legais cabíveis”, ressalta a presidente do Sindserv, Audrei Guatura.